A Sua Consciência é Viés da sua Percepção

Your Conscience is the Bias of Your Perception
Your Conscience is the Bias of Your Perception

 

Recordando o neurocientista Antonio Damasio:

Mente como resultados de interações de imagens cerebrais (livro Saber e Sentir).

Basicamente Introcepção e Propriocepção.

 

Desta base vem minhas ideias de consciência como um movimento que sente e se percebe ser.

Mais especificamente vem do deslocamento atencional para imagens cerebrais relacionadas (podendo ser lembranças, crenças, expertises, ações em andamento, etc..)

 

Para se manter uma camada de consciência precisamos da memória de trabalho.

Podemos nos deslocar para outros níveis de consciência usando outras ancoragem de palavras chaves mas temos que envolver a Introcepção e a Propriocepção mesmo que simuladas para trocarmos de camadas de consciência.

 

Quais são as definições de Introcepção Propriocepção e Mente?

 

Assim na minha visão iremos precisar de 8 a 12 memórias para segurar uma consciência. Também podemos trocá-la provisoriamente buscando outras palavras que segurem suas crenças ou cosmologia.

 

Então nossa cosmovisão pode estar gerando nossa consciência SIM, se estivermos com essa cosmovisão ativada (falada, lembrada, etc…).

 

Mas independentemente de suas crenças ou cosmovisão, toda consciência é, em certa medida, viés da Percepção.

 

Então criamos a Cosmovisão DANA - Todos os fenômenos pessoais do Ovo a Morte.

 

Sabendo do Viés (logração na percepção) iremos relacionar termos ameríndios para ativar nosso cérebro nesta cosmovisão diferenciada DANA.

 

Sempre teremos viés, mas agora é uma cosmovisão criada para ativar uma consciência que iremos usar para nossa Metacognição diante de nossas percepções, questões, posicionamentos, Tomadas de Decisões, etc…

Teremos Diplomacia e coerências multiculturais diante das relações em conflitos.

 

Destaco os Termos Ameríndios abaixo:

Fruição

Neurope

Yã hã Miy

Weicho

Corpo Território

Movimentos das Águas

 

Alguns Vieses na Visão de Daniel Kahneman: 

Daniel Kahneman é um psicólogo renomado, laureado com o Prêmio Nobel de Ciências Econômicas por seu trabalho sobre tomada de decisão sob incerteza. Ele, juntamente com Amos Tversky, investigou uma série de heurísticas (atalhos mentais) e vieses cognitivos que afetam nossa tomada de decisão. Livros “Rápido e Devagar”  e “Ruído”

Viés de Confirmação: A tendência de procurar e interpretar informações de uma maneira que confirme nossas crenças preexistentes, ignorando as evidências contrárias. 

Heurística da Representatividade: A tendência de julgar a probabilidade de um evento com base em sua semelhança com um protótipo, muitas vezes ignorando as estatísticas básicas.

Heurística da Disponibilidade: A tendência de superestimar a probabilidade de eventos baseada em quão facilmente podemos lembrar de exemplos de tais eventos.

Ancoragem: A tendência de ser influenciado por uma primeira peça de informação (a "âncora") ao fazer julgamentos subseqüentes.

Efeito Halo: A tendência de deixar a nossa impressão geral de uma pessoa influenciar nossos julgamentos sobre suas características específicas.

Viés de Excesso de Confiança: A tendência de superestimar a precisão de nossas crenças e previsões. 

Viés do Custo Irrecuperável: A tendência de continuar investindo em uma decisão baseada no investimento já feito (tempo, dinheiro, esforço), em vez de avaliar o valor atual da decisão.

No livro "Ruído", Kahneman juntamente com Olivier Sibony e Cass R. Sunstein, introduzem o conceito de "ruído" como uma forma de variabilidade indesejada em julgamentos e decisões. Embora não se concentre explicitamente em vieses individuais, o livro explora como a variabilidade na tomada de decisões (ou "ruído") pode levar a julgamentos inconsistentes e muitas vezes errôneos.

O "ruído" pode ser influenciado por uma série de fatores, incluindo:

Ruído Nível-1: Variações no julgamento entre diferentes indivíduos.

Ruído Nível-2: Variações no julgamento de um indivíduo ao longo do tempo.

Ruído do Sistema: Variações devido a características sistêmicas ou institucionais.

Ambos os livros oferecem uma análise profunda dos vieses humanos de percepção e os erros sistemáticos que podem ocorrer na tomada de decisões. Estes insights ajudam a compreender melhor a natureza humana e como podemos trabalhar para mitigar esses vieses e ruídos em nossos julgamentos e decisões.

 

Alguns Vieses na Visão de Anil Seth: 

Anil Seth é um neurocientista cognitivo e computacional conhecido por sua pesquisa em consciência e percepção. Embora ele tenha abordado muitos tópicos ao longo de sua carreira, alguns dos "vieses" ou temas centrais que são frequentemente destacados em seu trabalho incluem:

 

1. Construcionismo Predictivo:

Viés de Confirmação Predictiva: Anil Seth enfatiza que o cérebro está constantemente fazendo previsões sobre o mundo com base em experiências passadas, e tende a perceber informações que confirmam essas previsões. 

Viés de Regularidade Estatística: Nosso cérebro tende a se ajustar e se adaptar às regularidades estatísticas do ambiente, às vezes levando a percepções distorcidas.

 

2. Percepção Controlada pela Ação:

Viés de Controle e Ação: Anil Seth propõe que nossa percepção é muitas vezes direcionada e influenciada por nossas intenções e ações, em um processo de "percepção controlada pela ação".

 

3. Experiência Subjetiva:

Viés de Auto-referência: Seth sugere que a experiência subjetiva de um indivíduo é central para a forma como percebemos e interagimos com o mundo, implicando que diferentes estados de consciência podem alterar significativamente nossa percepção da realidade. 

Viés de Continuidade da Experiência: Seth também discute como nosso cérebro busca manter uma sensação de continuidade em nossa experiência, mesmo frente a estímulos inconsistentes ou contraditórios.

 

4. Natureza Alucinatória da Percepção:

Viés de Alucinação Controlada: Em seu trabalho, Seth propõe que a percepção é essencialmente uma forma de "alucinação controlada", onde o cérebro está constantemente gerando hipóteses sobre a natureza da realidade, que são então moduladas ou controladas por entrada sensorial.

 

5. Integração de Diferentes Domínios Sensoriais:

Viés de Integração Multissensorial: Seth ressalta que a percepção é frequentemente o resultado da integração de informações de diferentes domínios sensoriais, e que o cérebro está constantemente trabalhando para integrar essas informações de uma maneira coerente e consistente.

 

6. Importância da Interconectividade:

Viés de Redes Complexas: Seth argumenta que a compreensão da consciência e da percepção requer uma consideração da interconectividade complexa dos diferentes componentes e redes do cérebro.

 

Na nossa visão a Consciência é um grande Viés da Percepção.

Como Consciência, no meu entendimento, é uma referência atencional em grupos de imagens (como nossas cosmologias, Cultura, expertises, crenças, hábitos, afazeres, etc..), minha proposta é nos referenciar em uma cosmologia neutra DANA - Divindade que é e controla o desdobrar do DNA.

Ao trocar de Cosmologia teremos uma consciência provisória onde com Metacognição poderemos questionar detalhes que seriam os pontos cegos em se estando em outras cosmologias.

 


Titulo

Descrição

Titulo

Descrição

Titulo

Descrição

* This is a social networking platform where blogs are made by customers and researchers.
* The content published here is the exclusive responsibility of the authors.


Autor: Jackson Cionek